DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Brasileiros são presos no Caribe.

Dez integrantes da ONG Greenpeace, 4 entre eles brasileiros, foram indiciados nesta quarta-feira(21) em São Cristóvão e Névis, no Caribe, por violação das leis de imigração do país.

Eles haviam sido presos durante um protesto contra a caça à baleia numa praia em frente ao hotel onde acontecia a 58ª Reunião Anual da Comissão Internacional da Baleia, encerrada anteontem.

Os brasileiros Ana Paula Maciel, Bárbara Vitória, Joslei Leffa e Verônica Lameck integravam a tripulação do navio Arctic Sunrise, do Greenpeace, que havia partido de Santarém (Pará) para São Cristóvão e Névis. O governo da federação caribenha, que é favorável à caça comercial de baleias, havia negado ao navio permissão para fundear em São Cristóvão.

Mesmo assim, os ambientalistas desembarcaram na ilha no último dia da reunião da CIB, com o intuito de chamar a atenção do mundo para o número de baleias mortas pelo chamado programa de caça científica do Japão, criticado por ambientalistas e por países do bloco contrário à caça, como o Brasil.

Eles tentaram montar um “cemitério” com 863 caudas de baleia de papelão, simbolizando o número de cetáceos mortos pelos japoneses, com a inscrição “RIP” (acrônimo para “descanse em paz”, em latim) quando foram interrompidos pela polícia. Além dos brasileiros, foram detidos ativistas de Portugal, México, EUA, Escócia, Argentina e Alemanha.

Segundo a porta-voz do Greenpeace no local, Suzette Jackson, os brasileiros deveriam pagar uma multa (de valor ignorado) e sair da cadeia ainda na noite de quarta-feira.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
224