DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Brasileiros relatam drama durante o furacão Harvey: “As águas entravam pelas paredes; um horror”

Share

Hannah teve casa invadida pela água

Centenas de brasileiros que moram no Texas também tiveram suas vidas afetadas pela passagem do furacão Harvey, no último final de semana. Mesmo caindo de categoria 4 para 1, quando pisou em terra, o furacão teve força suficiente para fazer 9 vítimas fatais e deixar centenas de feridos e 316 mil pessoas sem energia. Na noite de segunda-feira o estado bateu o recorde continental de acúmulo de chuvas, com as águas atingindo a marca de 49 polegadas acumuladas (o equivalente a 1 metro e 24 cm).

Leia também:

A carioca Hannah Hallock Waneck que mora em Katy, TX, foi uma das vítimas. Ainda em meio aos transtornos, e abalada, ela falou por telefone com a reportagem do Gazeta News. Recém-casada, Hannah relata que perdeu todos os móveis da casa e está abrigada na casa de uma vizinha. A água chegou até a altura do joelho, em sua residência.

“Ainda estamos ilhados aqui; meus pais moram em outra cidade e não conseguem chegar até aqui”, conta a brasileira que trabalha no setor de compras do Texas Children Hospital. Ela mora nos Estados Unidos há 14 anos e se casou no mês de julho. A casa alagada foi comprada em abril e se mudou após o casamento.

“Foi horrível. A casa parecia um barco, enchendo de água. As águas entravam pelas paredes; um horror”, relata a carioca que está no segundo andar da casa de uma vizinha. Ela espera ser resgatada ou poder voltar para a sua casa.

“Acho difícil a gente voltar agora porque a água ainda está em nível alto; e continua chovendo muito”, conta Hannah.

O resgate está sendo demorado porque os órgãos públicos estão priorizando a ajuda à pessoas que estão com maior risco de vida. “Tem gente que está em pior situação, em cima dos telhados das casa, esperando resgate”, destaca a brasileira.

Família Santos teve mais sorte

Em outra região, a propriedade da família da brasileira Sonia Santos foi uma das atingidas, embora em pequena escala. Na casa da filha, Ruth Santos Searcy, o susto foi maior do que o prejuízo -“a casa é dela mas quem mora lá atualmente são o cunhado e a esposa”, relata Sonia. Pequenos estragos foram causados pela inundação, que alagou todo o piso da sala e os carpetes dos quartos. Objetos pessoais, brinquedos e outros ficaram boiando durante a tempestade que chegou a acumular 40 polegadas em algumas regiões.

Pastora Sonia Santos

Ruth Santos

“Mas graças à Deus não aconteceu nada mais grave”, destacou àreportagem do Gazeta News a pastora Sonia Santos, mãe de Ruth, que há três semanas se mudou da Flórida para o Texas.

Sônia é membro da Hope City Church e já havia morado no Texas por 11 anos. Há 7 anos se mudou para a Flórida, onde vivia até o final de julho. Ela mora na região de Champion, que não foi muito afetada, mas teme pela comunidade brasileira que vive na área de Katy,região que concentra a maior parte da comunidade brasileira do Texas.

Casa de Ruth: danos pequenos

Segundo o corpo de engenharia do exército americano (U.S. Army Corps of Engineers), para evitar possível rompimento as represas Barker Reservoir e Addicks Reservoir vem sendo abertas controladamente, desde o meio-dia de segunda-feira, para liberar água aos poucos. A medida acaba aumentado o nível de alagmaneto da região de Houston mas é uma ação necessária, segundo o U.S. Army Corp, para evitar danos maiores. Uma ordem de evacuação foi emitida na manhã de terça-feira para os moradores que residem próximo às repressas, e na região central de Houston.

O furacão Harvey já causou prejuízos da ordem de 24 bilhões e milhares desabrigados.Pelo menos 62 condados já foram declarados em “estado de desastre” (categorização que habilita a região a receber ajuda da FEMA –Federal Emergency Management Agency). Estima-se que 450 mil pessoas devam recorrer à FEMA.

Confira abaixo os vídeos das brasileiras:

Baixe nosso app:

Comments

comments

Share
Vanuza Ramos
Vanuza Ramos
Vanuza Ramos formou-se em Jornalismo pela Universidade Estadual da Paraíba-UEPB. Há 10 anos vive nos Estados Unidos, onde também desenvolve atividades culturais voltadas para a comunidade brasileira. Como escritora, participou das duas edições da coletânea “Brava Gente Brasileira em Terras Estrangeiras”. Seu portfolio inclui também trabalhos na área de Produção de Eventos e Shows, Public Relations e Marketing.
495