DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Brasileira está entre os maiores produtores do óleo cannabidiol nos EUA

Keila em uma das 4 fazendas da Revivid: safra deve render 1 milhão de plantas.

Uma brasileira está entre os empreendedores que apostaram nesse mercado cada dia mais competitivo nos Estados Unidos: o de uso medicinal da cannabis sativa. Keila Santos, paulista, participou da fundação da empresa Revivid CBD Hemp, no Colorado, e hoje, ao lado dos sócios-fundadores Justin Hammer, Chris Hammer e Harold Robinson, vem contribuindo para o reconhecimento internacional da empresa que produz cannabidiol (CBD).

O óleo tem finalidade medicinal e é produzido a partir da folha de Cannabis, o “hemp”, com licença do Departamento de Agricultura do Colorado e selo do USDA – United States Department of Agriculture, que reconhece o produto como 100% orgânico, com teor abaixo de 0.3% THC da planta da família Cannabis Sativa.
Apesar de ser extraído da Cannabis, o óleo não tem princípio psicoativo. A Cannabis tem dois princípios ativos, sendo o THC (tetrahidrocannabinol delta-9) o mais conhecido – que causa efeito narcótico – e CBD (cannabidiol), que tem finalidade medicinal.

Justin Hammer, sócio.

“O CBD é muito eficaz no tratamento de convulsões, fibromialgia, epilepsia e também tem componentes anti-inflamatórios, bastante usado por esportistas”, afirma Keila.
O Mercado de CBD movimenta atualmente US$ 450 milhões nos Estados Unidos e deve passar de US$ 2 bilhões até 2020. A Revivid faz parte desse mercado em expansão e a safra deve render 1 milhão de plantas somente este ano, que começam a ser colhidas no final de novembro – cada libra da folha rende 1oz de óleo.

Início num dispensário
A paulista mudou-se para os Estados Unidos em 2005. Morou na Flórida e em 2011 recebeu um convite para ajudar a montar um dispensário em San Jose, na Califórnia.
“Nesse dispensário, começamos a fazer testes em alguns pacientes e fomos vendo resultados. Assim surgiu o Revivid, com o objetivo de proporcionar um renascimento de vida e novos começos para todos”, conta Keila.
Em 2014, a empresa transferiu suas atividades para o Colorado, onde mantém 200 acres de plantação da folha. Nos EUA, a produção da Revivid é vendida em formatos diversos, de óleos medicinais a suplementos vitamínicos, sem prescrição médica.

Outro sócio, Harold Robinson.

Ação beneficente no Brasil
Mas o grande desafio da brasileira, hoje, é poder distribuir o produto medicinal no Brasil, sem restrições. Atualmente, 3.000 pacientes já se beneficiam do tratamento. Os que não podem pagar tem que recorrer à Justiça para terem o tratamento pago pelo plano de saúde ou pelo sistema público de saúde, mas a burocracia ainda atrapalha os trâmites.

Para ajudar a essas famílias de brasileiros eles criaram, em 2015, a Revivid Hope Foundation. A instituição doa o medicamento para as famílias mais necessitadas. Atualmente, o programa de doações envia 3.000 miligramas por mês para cada paciente, e atende 27 famílias em vários estados do Brasil.

Uma dessas famílias é a da pequena Maria Luiza, de 2 anos, que sofre de epilepsia. Ela começou o tratamento aos 4 meses. “Ela já estava internada por 2 meses, era tão pequena, frágil, mal podíamos pegá-la no colo. Em outubro de 2015 iniciamos com o CBD, conseguimos tirar as medicações que não deram certo, e 51 dias após o início do CBD chegou o tão sonhado dia da alta”, relata a mãe Liliana Lopes.

Chris Hammer

A quantidade prescrita depende do tipo de doença. Um paciente com epilepsia, por exemplo, precisa de 100 a 200 miligramas por dia. Um vidro com 12,000 miligramas chega a custar $360.00 – os preços variam entre $12 e $360, de acordo com a concentração.
A Revivid Hope Foudation também se coloca à disposição para ajudar a pacientes que moram nos Estados Unidos. Para mais informações sobre os programas beneficentes basta acessar o site www.revividcbdhemp.com.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]

Tags: ,,,,

Vanuza Ramos
Vanuza Ramos
Vanuza Ramos formou-se em Jornalismo pela Universidade Estadual da Paraíba-UEPB. Há 10 anos vive nos Estados Unidos, onde também desenvolve atividades culturais voltadas para a comunidade brasileira. Como escritora, participou das duas edições da coletânea “Brava Gente Brasileira em Terras Estrangeiras”. Seu portfolio inclui também trabalhos na área de Produção de Eventos e Shows, Public Relations e Marketing.
227