DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Brasileira é acusada de ajudar a encobrir o assassinato do namorado na Flórida

Imagem: Broward Sheriff Office.

A brasileira Isabella Bellucci Tagliarini, 38 anos, é acusada de ajudar seu ex-namorado, Eric Robinson, de 46 anos, a encobrir o assassinato de seu então atual namorado, Nicholas Wilcox. O corpo de Wilcox foi descoberto dentro de um lixo no início de outubro e desde então a polícia investiga o crime.

De acordo com relatório policial do Broward Sheriff Office, no dia 5 de outubro, Wilcox foi esfaqueado e morto em uma casa no endereço 7201 N.W. 15th Street. Seu corpo foi descoberto em um lixo atrás de um movimentado centro comercial, perto de Nob Hill Road e Cleary Blvd, e Robinson foi preso um dia depois acusado do assassinato.

Em depoimento inicial à polícia, Tagliarini teria dito que foi forçada e ameaçada pelo ex-namorado a ajudar no crime. Por temer pela sua segurança, ela atendeu às exigências de Robinson, mas agora os investigadores acreditam que ela ajudou a remover o corpo de Wilcox e a limpar a cena do crime sem ser sob ameaça ou risco de morte, conforme divulgado pelo CBS Miami.

De acordo com os documentos da polícia, no último dia 14 de outubro, a brasileira foi detida por envolvimento após confessar que tinha conhecimento do acontecido e depois que imagens da câmera de segurança de uma loja mostrarem uma outra versão da sustentada pela brasileira à polícia.

De acordo com o relatório da prisão, o ex-marido de Tagliarini, Nicholas Tagliarini, chamou a polícia e informou-os de que Isabella admitiu o conhecimento sobre o crime. Na versão dada às autoridades, ela explicou aos policiais que, na noite de 5 de outubro, por volta das 2:30 da manhã, estava na cama com a vítima quando foi acordada por Robinson colocando sua mão sobre sua boca e dizendo a ela para ficar quieta. Ele então atingiu Wilcox com uma pala de metal repetidamente no rosto e na garganta, matando-o.

Ela afirmou então que Robinson a forçou a ajudar a “dar sumiço” no corpo de Wilcox. Ele levou o corpo para o seu caminhão e ambos seguiam para Everglades, mas depois “rodaram” por outros locais em busca de algum lugar para deixar o corpo. Tagliarini disse ainda que Robinson tomou o seu celular no caminho.

O casal parou então em uma loja e comprou materiais de limpeza, incluindo tinta para cobrir as paredes do quarto e para se livrar do colchão e outros itens pertencentes a Wilcox, aponta o relatório policial. Tagliarini disse que Robinson a orientou a dizer, caso fosse questionada, que Wilcox simplesmente a abandonou. Robinson então tentou manter essa versão usando o celular da vítima para enviar mensagens de texto para confirmar.

Eric Robinson. Foto: Broward Sheriff Office.

Imagens de câmera de vigilância

Para os investigadores, parte da história contada por Tagliarini não coincide com o que aparece em imagens obtidas de câmeras de vigilância onde a brasileira aparece dirigindo seu próprio Cadillac acompanhada de Robinson até o shopping center onde o corpo foi despejado, e não no caminhão dele, como havia descrito.

Nas imagens, a brasileira foi vista abraçando Robinson e segurando em sua mão enquanto compravam os materiais. Os pesquisadores também observaram que Tagliarini estava de posse de seu celular durante todos esses momentos, contradizendo a afirmação de que Robinson teria tomado o seu aparelho. A polícia descobriu também mensagens de texto em que ela pergunta a Robinson se ele se casaria com ela.

Roommates

A polícia descobriu também que os três tinham sido roommates antes de Robinson ser preso por outros crimes em agosto. Ele então foi solto no dia 3 de outubro e tinha uma ordem de restrição de Tagliarini.

Robinson é acusado de assassinato em 1º grau e Tagliarini enfrenta uma acusação de 2º grau por envolvimento após o crime.

De acordo com documentos do tribunal, Tagliarini foi liberada após pagar fiança de $100 mil dólares e aguarda o processo em liberdade, monitorada com tornozeleira eletrônica.

Em suas redes sociais, consta que a brasileira trabalha na Azul Brazilian Airlines e é de Americana, interior de São Paulo.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]

Tags: ,,

Gazeta News
Gazeta News
223