DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Argentina, Brasil, Chile e Uruguai buscam mais resultados no Haiti

Funcionários dos governos da Argentina, Brasil, Chile e Uruguai devem se reunir nesta sexta-feira, em Buenos Aires, para tentar conseguir mais resultados da missão de estabilização integrada pelos quatro países no Haiti, informou nesta quinta-feira o Ministério argentino das Relações Exteriores.

A reunião no Palácio San Martín, na Argentina, com funcionários dos quatro países latino-americanos com maior presença no Haiti, tem como objetivo coordenar conjuntamente suas atividades e conseguir, assim, uma maior efetividade de seus trabalhos na nação caribenha, destacou o comunicado do ministério

No encontro, que contará com a presença de vice-ministros das Relações Exteriores e da Defesa, espera-se alcançar uma coordenação mais apropriada em temas de âmbito político e militar, como também em matéria de desenvolvimento econômico e social no Haiti.

Os quatro países integram a Missão de Estabilização da ONU no Haiti (Minustah), que conta com 8.000 soldados, a maioria latino-americanos.

Violência

A missão enfrenta grandes dificuldades para levar à frente o seu trabalho devido à escassez de recursos econômicos e altos níveis de violência.

Em abril passado, o chefe da missão da ONU no Haiti, o chileno Juan Gabriel Valdes, acusou os países em desenvolvimento de desconhecer a dimensão da tragédia haitiana, ao advertir que a falta de recursos econômicos poderá fazer fracassar os objetivos da força de paz.

Por isso, a violência no Haiti desde setembro de 2004 deixou mais de 600 mortos, entre eles 19 policiais, segundo um relatório da Comissão Interamericana de Direitos Humanos publicado há duas semanas.

Nesse contexto, estão previstas no Haiti eleições parlamentares e presidenciais para o dia 13 de novembro e 18 de dezembro, respectivamente.

O encontro em Buenos Aires propõe ainda que os países do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, sócios plenos, e Chile associado externo) atuem de forma coordenada e conjuntamente não somente no Haiti, mas também em reuniões multilaterais que abordem a problemática do país.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
196