DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Apego a bens materiais está ligado à falta de auto-estima

Pesquisadores americanos realizaram um estudo para determinar como o gosto por bens materiais, como roupas de grife e equipamentos eletrônicos caros, surge e evolui nos jovens – um assunto que costuma ressurgir na época das festas de fim de ano.

O desejo por bens de consumo “sempre interessou os pesquisadores, mas a pesquisa vinha se centrando em consumidores adultos, não crianças”, disse o professor de Marketing da Universidade de Illinois, Lan Nguyen Chaplin. Para estudar o fenômeno do consumismo na juventude, Chaplin e Deborah Roedder John, da Universidade de Minnesota, analisaram três faixas etárias – 8 a 9 anos, 12 a 13 anos e 16 a 18 anos.

A pesquisa mostrou que o apego a bens materiais – como bichinhos de pelúcia, dinheiro, material esportivo – cresce em relação à valorização de bens imateriais – como estar com os amigos, ter sucesso nos esportes e ajudar os outros – entre as faixas de 8-9 anos e 12-13 anos, mas cai dos 12-13 para os 16-18.

Em um segundo estudo, os pesquisadores determinaram que a auto-estima é um fator essencial no apego a bens materiais. Crianças com baixa auto-estima valorizam suas posses muito mais que as crianças de alta auto-estima.

Além disso, os valores consumistas do início da adolescência relacionam-se diretamente a uma “grave queda da auto-estima que ocorre entre os 12-13 anos”.

O trabalho será publicado na revista especializada Journal of Consumer Research.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
153