DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Amor estrangeiro.

Um estudo publicado recentemente pela Universidade de Chicago afirma que as mulheres são capazes de identificar no rosto de um homem traços que denunciam se ele pretende se casar ou se está à procura de paqueras descompromissadas.

A tese é defendida pelo professor de Desenvolvimento Humano, Dario Maestripieri. “Mulheres são muito boas em usar as informações que podem ser extraídas do rosto masculino”, diz o estudioso.

Ele é co-autor de uma pesquisa liderada pelo psicólogo James Roney, da Universidade da Califórnia. Os dois selecionaram voluntárias e pediram a elas que avaliassem fotos de 39 homens de acordo com as seguintes categorias: simpatia por crianças, atração física, gentileza e masculinidade.

Curiosamente, os homens que gostam de crianças foram identificados corretamente por 20 das 29 mulheres participantes. “Este trabalho sugere que as mulheres estão captando características faciais que talvez estejam relacionadas a qualidades paternas. Quanto mais elas notarem que o homem gosta de crianças, maior a probabilidade de que ele seja visto como bom candidato para o casamento”, opina Roney.

Apesar disso, é cada vez mais freqüente o número de mulheres (e homens) que buscam pela internet a sua cara metade, e no aspecto econômico, o negócio de agências de casamento ou de relacionamentos virtuais não pára de crescer.

Atualmente, nos Estados Unidos o mercado de sites e empresas de relacionamento online movimenta nada menos que $520 milhões anualmente. Na Europa os números são inferiores: $520 milhões, mas em ambas as regiões os aumentos anuais são de dois dígitos.

Em alguns casos o nível de sofisticação adotado pelas agências virtuais permite o cliente defina em detalhes o grau de compatibilidade com o futuro parceiro. É o caso da Perfect Match, que anuncia utilizar o sistema Duet Total Compatibi-lity System. De acordo com a empresa, o sistema “é resultado de mais de 30 anos de pesquisa acadêmica, e ajuda a definir verdadeiramente diversos tipos de personalidade”. O sistema, afirmam os responsáveis pela empresa, ajuda a esclarecer em “que tipo você é, e com qual tipo você é mais compatível”.

O sistema foi idealizado pela PhD em sociologia e professora da Universidade de Washington, Pepper Schwartz, autora de 15 livros incluindo diversos sobre temas como a escolha do par perfeito.

Consiste no preenchimento de uma longa série de formulários que envolvem temas como capacidade de assumir riscos amorosos, intensidade na maneira de encarar a vida, flexibilidade, temperamento e substância emocional. Mas para encontrar tamanha afinidade com alguém, é preciso estar disposto a gastar. Os preços variam de $99,95 por filiação de três meses a $249,95 por filiação de um ano.

Especializado em unir latino-americano(a)s com estrangeiros, o Latin American Cupid, com sede na Austrália, cobra $24,99 mensalmente por “contatos ilimitados”. Oferece ao usuário do serviço a chance de pesquisas entre os perfis de outros usuários, aquele que mais lhe agrada. A brasileira Edite Miranda diz ter casado com o britânico Colin após “conhecê-lo” através do site. Após trocas de mensagens os dois passaram 10 dias juntos no Brasil, ficaram noivos e decidiram casar-se em dezembro.

Outro casal, que prefere não revelar os sobrenomes, Kevin e Liliana, também afirma ter se conhecido por intermédio do site. Ele norte-americano e ela brasileira. Ambos dizem estar agora organizando as vidas para que Liliana mude-se para os EUA. “Nós sabemos que temos alguns obstáculos a vencer em relação à migração de Liliana para os EUA, mas estamos prontos para enfrentá-los”, diz Kevin.

Com sede em São Paulo, a Brazilian Romance especializou-se em promover a união entre mulheres brasileiras e homens estrangeiros. “Mulheres brasileiras são as melhores no mundo em beleza, gentileza, sensualidade e orientação familiar, amam crianças e sonham em construir uma família. Existem muitas mulheres brasileiras sérias e fiéis que procuram suas almas gêmeas no exterior”, informa o texto promocional da agência.

Mineira de governador Valadares, Zelande Rodrigues Santos conta na página sua história com final feliz. Após conhecer na página da empresa o norte-americano Michael Reed, morador da Flórida, ela manteve um relacionamento à distância que terminou em casamento quase um ano e meio depois. “Após receber meu visto de entrada nos EUA, viajei para cá, onde nos casamos”, conta Zelande em seu depoimento.

Depois de um romance bem sucedido via internet, o norte-americano Adam Berman, hoje casado com uma peruana, decidiu iniciar com a esposa, em novembro de 2004, o site de relacionamentos Latin Love Search, totalmente gratuito. Segundo ele, o site é atualmente o maior site gratuito do tipo voltado para a comunidade latina, com 12 mil usuários.

A página oferece versões em português, inglês e espanhol, e serviço de tradução eletrônica gratuita para aqueles que não dominam um idioma estrangeiro, mas pretendem conhecer um parceiro no exterior. “Por isso creio que o site esteja crescendo tão rapidamente”, avalia Adam.

Especialista em imagem e cinegrafista de informercials ele hoje não tem o site como fonte principal de renda, mas acredita que possa tornar-se um negócio lucrativo no ano que vem, devido ao rápido crescimento. Segundo ele, o atual perfil é de um número maior de mulheres em comparação a homens, embora o crescimento homens filiados tenha sido significativo recentemente. “Essa predominância das mulheres está mudando e tornando o perfil mais equilibrado. “Nós temos um bom número de homens hispânicos que são cidadãos americanos, e alguns não-hispânicos também”, explica.

Perigos:

Iniciar um relacionamento via internet é sempre um risco muito alto, alertam os especialistas em segurança. Não são incomuns os casos de abuso, principalmente contra mulheres, em encontros casuais ou relacionamentos desenvolvidos via internet.

A legislação norte-americana qualifica sites de relacionamento, agências de casamento ou qualquer negócio que “facilite a comunicação entre indivíduos” como International Marriage Broker – IMB, que corresponderia a um corretor internacional de casamentos. Regulada por Lei, esta atividade está submetida ao Internatio-nal Marriage Broker Regulation ACT (IMBRA), de 2005.

A lei requer que todos os homens cidadãos norte-americanos que pretendam conhecer sua futura noiva ou esposa através de um Internacional Marriage Broker, submetam antes ampla informação sobre seus antecedentes à agência de relacionamentos. De acordo com a lei, o site de relacionamento é obrigado a compartilhar a informação com a interessada, que deve concordar antes de o casal iniciar qualquer comunicação ou relacionamento. Apenas os sites que cobram pelo serviço são obrigados a submeter-se à lei, embora raríssimos o façam.

A lei busca proteger mulheres que pretendem imigrar através de casamento possibilitando a elas acesso aos antecedentes do potencial futuro noivo ou marido, antes de iniciar qualquer relacionamento.

Existem nos Estados Unidos algumas peculiaridades devido ao grande número de imigrantes estrangeiros em determinadas regiões. Na Flórida, por exemplo, que reúne a terceira maior população de imigrantes do País, perdendo apenas para a Califórnia e New York, é significativo o perfil de usuários não americanos, que freqüentam sites de relacionamento em busca de parceiro(a)s americana(o)s.
Isso porque, em muitos casos, além da “cara metade”, muitas pessoas tentam encontrar uma forma de legalizar sua situação no país através do casamento com um cidadão ou cidadã americana.

O Serviço de Imigração e Naturalização dos EUA (Immigration and Naturalization Service – INS ) estima de 20 mil vistos de noivo(a) sejam protocolados anualmente. A solicitação do visto de noivo(a) (visto K) racionaliza e simplifica o procedimento de casamento entre um cidadão americano e um estrangeiro. Com sua concessão o noivo (a) e seus dependentes menores de 21 anos podem entrar nos EUA, de maneira legal, para fins de casamento.

Como funciona:

Após entrar nos EUA, o noivo(a) deverá casar-se dentro de 90 dias a partir da data de entrada, caso contrário, perderá seu status legal e estará sujeito à deportação.

Para refrear possíveis abusos e assegurar que os casais venham a se casar realmente, foi aprovado o Ato de Fraude e Imigração. Com essa nova lei duas mudanças significativas restrigem as petições para noivos. Primeiro, introduz a obrigatoriedade do casal haver se conhecido pessoalmente pelo menos dois anos antes da petição do visto.

A segunda principal mudança nas leis que afetaram os noivos(as), é a eliminação do ajuste automático para noivo(a) nos EUA. Agora eles estão sujeitos a dois anos de residência condicional e se as partes casarem dentro dos 3 meses depois da entrada do noivo estrangeiro, o mesmo está qualificado para aplicar para um visto de imigrante. No entanto, o Green Card é válido somente por 2 anos e novos procedimentos deverão ser seguidos para converter o Green Card condicional em permanente. Este procedimento deve acontecer 90 dias antes de completar os dois anos de Green Card condicional.

Quem escolhe casar com um norte-americano fora dos EUA e depois mudar-se para cá enfrenta um tempo menor de espera pela emissão do green card do que aquele que casa nos EUA. De acordo com especialistas em direito de Imigração, quem casa fora do país espera até um ano, mas fica impedido de entrar nos EUA antes de legalizada toda a situação. E quem casa nos EUA enfrenta um prazo de espera de 1 a 3 anos, dependendo do estado em que a petição foi feita.

Baixe nosso app:

Comments

comments

[apss_share]
Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
223