DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Abelhas desaparecem no País

O desaparecimento de milhões de abelhas em todo os Estados Unidos tem deixado os apicultores com a pulga atrás da orelha e preocupa até o Congresso, que debateu ontem a crítica situação de um inseto chave para o setor agrícola.

As primeiras ocorrências sérias surgiram pouco após o Natal, no estado da Flórida, quando os apicultores se depararam com o sumiço de inúmeras abelhas. Desde então, a síndrome que os especialistas batizaram como Distúrbio do Colapso das Colônias (CCD) causou a diminuição de 25% dos enxames no país. “Perdemos mais de meio milhão de colônias, com uma população de 50.000 abelhas”, diz Daniel Weaver, presidente da Federação Americana de Apicultores, que destacou que o problema vem afetando 30 dos 50 estados do país.

O curioso do fenômeno é que em muitos casos não são encontrados “restos mortais” dos insetos. “Historicamente, quando algo afeta os enxames, sobram muitos insetos mortos”, explica Mai Berenbaum, professora de entomologia da Universidade de Illinois e segundo quem “em muitas destas misteriosas desaparições não há corpos”.

O comportamento raro das abelhas americanas se soma a outro fato inusitado: as abelhas operárias estão fugindo e deixando a abelha rainha para trás, em um comportamento atípico para estes insetos. “Nunca tínhamos tido um caso como este”, afirma Weaver, que como muitos dos 1.200 membros de sua organização acreditava que o problema desapareceria com a chegada da primavera no hemisfério norte, quando os enxames são muito mais numerosos.

Nesta época do ano, os insetos cumprem uma tarefa árdua, polinizando plantações avaliadas em até US$ 14 bilhões, segundo um estudo da Universidade de Cornell. Mas a situação “ainda é crítica”, assegura Weaver, que diz que ainda continua recebendo informações de abelhas desaparecidas ou mortas.

Entre os que perderam grande parte de suas colméias está David Ellingson, um apicultor nômade de Minnesota, que a cada ano libera seus insetos para que os insetos polinizem as longas plantações de amêndoas na Califórnia. Na última vez, no entanto, muitas das abelhas de Ellingson cumpriram sua derradeira viagem. Cerca de 60% dos insetos das 2.000 colônias que o produtor cultivou para as plantações de amêndoas desapareceram ou morreram.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
152