DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

A verdadeira chance de Andrade

Andrade finalmente terá uma oportunidade real para mostrar seu trabalho no Flamengo. Nesta terça-feira, o vice-presidente de futebol Gerson Biscotto anunciou o ex-jogador como novo comandante rubro-negro no Campeonato Brasileiro, assumindo o lugar de Celso Roth, demitido na noite de segunda-feira. Desta vez, Andrade não será considerado técnico interino:

– Não estamos mais procurando treinador. Andrade assume o comando técnico da equipe e terá Adílio como seu auxiliar. Ele já conhece o grupo e resolvemos dar esta oportunidade. Tinha que haver mudanças e trazer um novo técnico levaria tempo para ele conhecer o grupo – explicou Biscotto.

Apesar de estar feliz por ter recebido o reconhecimento da diretoria, Andrade sabe que, como qualquer outro treinador no futebol brasileiro, sua longevidade no cargo dependerá dos resultados:

– Enquanto os resultados estiverem acontecendo, você é o treinador. Essa é a realidade. Mas estou tranqüilo. No ano passado estivemos numa situação difícil no Brasileiro e nós superamos os problemas. Esse ano não vai ser diferente – comentou.

Foram cinco as vezes em que Andrade foi chamado para comandar o time profissional após a demissão de um técnico. O novo treinador tem bom retrospecto: em quinze jogos, contabilizou cinco vitórias, oito empates e duas derrotas.

Jorge Luiz Andrade da Silva, 48 anos, foi jogador do Flamengo entre 1979 e 1988. Disputou 566 jogos e marcou 28 gols, como cabeça-de-área. É recordista de títulos brasileiros, ao lado de Zinho, com cinco conquistas.

Celso Roth deixa o clube sem se despedir

Celso Roth foi comunicado oficialmente que não era mais treinador do Flamengo numa reunião que durou cerca de uma hora na tarde desta terça-feira. O supervisor Isaias Tinoco, o vice de futebol Gerson Biscotto e o gerente de futebol Anderson Barros explicaram os motivos da saída do treinador, que continua achando que fez um bom trabalho no clube.

Celso Roth não fez questão de se despedir dos jogadores.

– É claro que eu não vou me despedir. Isso é coisa para ator de cinema – disse Roth.

– Aprendi muito dirigindo o Flamengo. É um clube único que ainda procura um caminho no Brasileiro. Avalio como bom o trabalho que fiz, o mais pesado nessa caminhada, e com a chegada de reforços, principalmente para o ataque, e a mudança no comando o Flamengo pode dar certo ainda este ano – afirmou.

Baixe nosso app:

Comments

comments

Gazeta Admininstrator
Gazeta Admininstrator
244