DESDE 1994 SERVINDO À COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS.

Breaking news

Alimentação: Ano novo, época de promessas

Share

Mais um ano e, claro, as promessas de um ano diferente com hábitos novos e mais saudáveis são feitos. Entre as promessas mais comuns está a danada da dieta. Nas mídias sociais o que mais vemos são posts sobre emagrecer, o que comer, como não engordar e as receitas mais milagrosas. Seria um pouco de ingenuidade acreditarmos que uma única atitude poderia resultar em uma grande transformação. Uma única atitude pode ser o início de uma grande transformação.

A alimentação é um fator extremamente importante nessa transformação e nossas escolhas são fundamentais para que o resultado apareça. Apesar da maioria das pessoas buscar apenas o emagrecimento em detrimento da saúde, se fizermos boas escolhas vamos conquistar as duas coisas, a diminuição da gordura corporal e, o mais importante, a saúde.

Para que tudo isso seja possível é necessário entender que existe muita coisa para ser aprendida. Somente dessa forma poderemos mudar o padrão da alimentação e assim alcançar o objetivo. A principal regra alimentar na minha opinião é: não restrinja nenhum alimento e, principalmente, não restrinja aquele alimento que você gosta. A menos que você tenha alergia ou intolerância grave, claro. Quando você deixa de comer aquilo que gosta, isso pode se tornar algo muito ruim para você e a possibilidade de desistência aumenta muito. Estabeleça uma convivência harmoniosa com o alimento e não uma tortura de “eu quero, mas não posso”. Pode sim, só não pode exagerar. Os alimentos eleitos como deliciosos e que trazem muito prazer são os doces. O que eles poderiam trazer de prejuízo? Calorias e carboidrato de alto índice glicêmico que podem causar um pico de insulina.

Vamos então comparar um alimento considerado ruim com outro considerado bom. O brigadeiro e a tapioca sem recheio. Ambos têm em média 68 calorias, os dois têm carboidrato de alto índice glicêmico (brigadeiro 11g e tapioca 16.7g) e proteínas (1.37g no brigadeiro e 0.04g na tapioca). Então, olhando assim, a tapioca não parece tão boa e o brigadeiro passa a ser melhor visto. Mas por que isso acontece? Falta de informação e distorção da realidade. A tapioca foi eleita a queridinha pelo fato de não ter glúten, mas o brigadeiro também não tem! “Ah, mas doce engorda!”. Compare novamente, eles são muito parecidos e ainda a tapioca que eu estou comparando não está com o recheio e, dependendo do recheio, ela pode se tornar uma escolha ruim. Existem, sim, mais diferenças, a tapioca pode saciar mais a fome que o brigadeiro, pela quantidade de alimento, por exemplo. Mas, o que estou propondo aqui é uma análise do que as pessoas fazem porque ouvem falar e não aprenderam o correto. O que quero dizer é que comer um brigadeiro em uma festa não fará de você uma pessoa obesa e sem saúde e, ao mesmo tempo, comer tapioca todos os dias em quantidades erradas pode. A proposta é aprender o certo e estabelecer uma relação saudável com os alimentos. Vamos aprender?

Baixe nosso app:

Comments

comments

Share

Tags: ,,

Ivani Manzo
Ivani Manzo
Dra. Ivani Manzo é doutora em Ciências pela Escola Paulista de Medicina UNIFESP – EPM com ênfase em obesidade, gestação e exercício. Em 2010 iniciou seus estudos em Life Coach e desde então trabalha ajudando as pessoas a alcançarem seus objetivos.
199